passeios de domingo: museu da marioneta

O meu pequeno País das Maravilhas tem uma nova rubrica! "Passeios de domingo" almeja ser um cantinho dedicado a encantadores roteiros culturais... em família. Aqui, encontrarão sugestões, dicas e actividades para os fins-de-semana, uma verdadeira receita para caminhar em nuvens feitas de algodão. Descubram como podem fazer nascer sorrisos no rosto de um criança ou coroar os vossos domingos com pedaços de ternura e magia.  


A Nini é a minha pequena exploradora. Com apenas 10 anos, tem no seu pote de sonhos o desejo de ser paleontóloga. Ama dinossauros com o coração inteiro. Os seus domingos preferidos são aqueles em que partimos à descoberta dos tesouros preciosos que se aninham nos museus. "Qual é o nosso próximo destino?" parecem dizer os seus olhos, quando o calendário relembra que estamos a chegar ao último dia da semana. 

Há já algum tempo que o Museu da Marioneta integrava a nossa lista de locais mágicos e, claro, de passagem obrigatória! Este espaço museológico foi criado em 1987 pela Companhia de Marionetas de S. Lourenço, e, em Novembro de 2011, encontrou abrigo no Convento das Bernardas, em Lisboa. Ao percorrermos os seus corredores, impregnados de história e de encantamento, descortinamos os segredos do teatro de marionetas. As peças falam connosco, mesmo despidas de palavras. É no seu silêncio que encontramos a felicidade, o êxtase, a magia. Os gestos, os movimentos, as extensões do corpo deixam a porta aberta para a imaginação entrar. Somos, pois, transportados para mundos de sonho, intensamente cativantes. Qual estrela cadente, o coração resplandece. 

O Museu da Marioneta é guardião de um magnífico espólio. Durante a nossa odisseia por este místico lugar, contemplámos as marionetas portuguesas, mas também a colecção de peças e máscaras africanas e do sudeste asiático, que pertencem ao coleccionador Francisco Capelo. Ficámos maravilhados com a diversidade de texturas, materiais e técnicas das marionetas. Ainda assim, conseguimos sentir que todas trazem dentro de si o mesmo propósito: formar meias luas brilhantes no nosso rosto. Sorrisos rasgados. 



No passado dia 1 de março, a capela do Museu inaugurou a exposição Marionetas no Cinema de Animação. Uma receita tradicional, a propósito da Monstra 2013. Integrada na programação do Festival de Cinema de Animação de Lisboa, este projecto reúne o trabalho cinematográfico de duas regiões espanholas, Catalunha e Galiza. Durante a nossa expedição, tivemos oportunidade de fotografar as personagens, os detalhes e cenários de seis filmes magicados no Estúdio I+G STOP MOTION, com raízes na minha cidade-feiticeira, Barcelona. 

Deixámos o olhar perder-se em vitrinas polvilhadas de alquimia, aventura e mistério. Mas o momento alto da exposição foi a incursão pelo universo gótico e fantástico de O Apóstolo, com realização do galego Fernando Cortizo. Considerada a primeira longa-metragem de animação em stop-motion da nossa vizinha Espanha, em 3D, obteve financiamento através da plataforma "crowdfunding". Ao som do compositor Philip Glass, somos conduzidos para dentro de um conto tradicional, envolto na névoa e na negrura que tantas vezes perpassa os filmes de Tim Burton.  



O cinema de animação tem, de facto, o condão de nos fazer acreditar que podemos ser tudo o que quisermos. Precisamos apenas de manter abertas as janelas da alma, sonhar e acreditar com todo o nosso coração. 


Morria de saudades das vossas encantadoras palavras de incentivo, queridos leitores.
Desejo-vos uma semana repleta de doçura e carinho.
Um sopro de estrelas cadentes.


Convento das Bernardas
Rua da Esperança, nº 146
1200-660 Lisboa

5 comentários:

Instagram