sê bem-vindo, outono

sexta-feira, setembro 23, 2016


"I know for sure that appreciating whatever shows up for you in life changes your whole world. You radiate and generate more goodness for yourself when you're aware of all you have and not focusing on your have-nots". Esta frase, retirada do livro What I Know For Sure, de Oprah Winfrey, tornou-se o meu mantra de setembro. Nunca pensei que o meu mundo ficasse totalmente virado do avesso num mês que ainda nem viu o seu fim, mas que trouxe consigo as reconfortantes sensações do meu adorado outono. O sabor de um Pumpkin Spice Latte do Starbucks e do bolo de cenoura da minha mãe, o som da agulha num vinil de The Platters, o conforto de uma manta polar, o calor das mãos dele e do carro que me recebe, o cheiro a canela, a mel e a terra molhada, as viagens nas páginas do livro de cabeceira, a paleta de tons amarelos e castanhos, aos quais se juntam os laranjas, vermelhos e roxos. Estas são as bênçãos da vida.

No início de agosto, os ventos da Régua sussurram-me promessas de mudança e eu senti o seu ímpeto vulcânico a percorrer as vielas do meu corpo. À semelhança de uma mensagem de um fortune cookie, os meus pressentimentos transformaram-se em certezas. A paciência é uma virtude, é certo. Esperei alguns anos para abraçar um novo desafio, para alterar a minha rotina diária e desassossegar (da forma mais inspiradora possível!) os meus percursos matinais. Os jardins verdejantes invadiram o meu caminho e a bicicleta parece ansiar pela liberdade fora de quatro paredes.

Sim, fechei mais um ciclo do meu percurso e comecei a escrever uma nova história no meu diário de gratidão. Escolhi abrir o meu coração por inteiro para receber tudo o que o universo tem para me oferecer. Todos os dias. E a verdade é que as gavetas do passado guardam agora a sete chaves todos os meus navios afundados e as minhas más escolhas. Sem eles, não teria sido capaz de dirigir o olhar para as constelações mais bonitas e demorar toda a atenção na minha rosa dos ventos. Encontrei um porto de abrigo para o meu coração sonhador e, por enquanto, é aqui que quero atracar todas as luzes incandescentes do meu presente. Ele conseguiu a minha terra possuir ao pintá-la com quantas cores o vento tem. 11, disse ele. Um dia saberão a razão para este número ser tão especial para mim.


E porque esta estação do ano me ofereceu uma oportunidade para ser ainda mais feliz, partilho convosco a #JJBucketList para outubro. E 11 foi a conta que ela fez, pois claro:

1. Beber um Pumpkin Spice Latte no Starbucks mais encantador do país. [Qual é o vosso favorito?]
2. Ver os filmes Far from the Madding Crowd, The F Word, A Cat in Paris, April and The Extraordinary World, It's Kind of a Funny Story, A Walk in The Woods The Nice Guys
3. Ler os livros motivacionais The Happiness Project, de Gretchen Rubin, e O Ponto Morto, de Seth Godin, nos transportes e antes de adormecer.
4. Deliciar-me com maçãs e castanhas assadas. Não pode faltar canela e erva doce.  
5. Decorar a minha casa a rigor para celebrar mais uma noite horripilante de Halloween. 
6. Contemplar um dia de chuva pela janela e ter a voz de veludo de Nat King Cole no gira-discos.
7. Fazer uma escapadela de fim-de-semana, quem sabe já no meu carro novo.
8. Abraçar todos os meus amigos do coração e convidá-los para lanchar.
9. Encontrar a camisola de lã cor de alfazema dos meus sonhos.
10. Preparar um pequeno-almoço caseiro, com direito àquelas panquecas cobertas de compota, agave e fruta. E aninhar-me nele, de seguida. Até quando nos apetecer.
11. Parar quieta, respirar profundamente e apreciar o silêncio. 


[Todas as imagens foram retiradas do Pinterest.]

You Might Also Like

2 comentários

  1. Sem dúvida que é uma boa lista e as imagens super inspiradoras!!
    Beijinhos, Ana :)
    http://alavosblog.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida Ana!
      Tens alguma sugestão relativamente ao Starbucks?
      Um grande beijinho*

      Eliminar