Páginas Salteadas | Jack-o'-lanterns de fogo infernal por Miss Peregrine


Tenham medo, muito medo, brisas! Já estão com calafrios? BUH!

Doce ou travessura? O blogue entrou em modo Halloween, por isso até ao final do mês de outubro muitas serão as publicações dedicadas a esta temática, desde as decorações aos disfarces, passando por sessões arrepiantes de cinema, listas de livros sangrentos e imagens onde o laranja, o castanho, o vermelho-sangue e o negro da noite assumem o protagonismo. Sally Owens, personagem interpretada por Sandra Bullock no filme Practical Magic, é o meu alter ego místico e a minha inspiração cinematográfica.

Em criança, colecionei os livros da saga Arrepios, descobri o universo de Tim Burton, a literatura de caninos afiados (e não, não estou a falar de Crepúsculos e afins, mas sim d' O Historiador e de Drácula), o gosto pelo punk de Misfits, o interesse pelo estilo gótico, as aventuras em mansões assombradas de Sintra e as noites de 31 de outubro. 

Desde 2012 que a minha casa é palco de um assombroso baile de máscaras. As paredes vestem-se de intermináveis teias de aranha, os frascos de vidro parecem saídos de uma sala de poções mágicas e, adquirem tons de verde radioativo e de beijos de vampiros, os esqueletos serpenteiam no ar e emitem risos maléficos, e, por fim, a mesa recebe gelatinas escarlate com olhos, bolachas em forma de morcegos, cupcakes horripilantemente deliciosos e abóboras assustadoras. É tradição da família Clara cortar as Jack-o'-lanterns na semana que antecede o Dia das Bruxas. Este ano mascarar-me-ei de cartomante mexicana, uma ideia inspirada na personagem La Muerte, do filme de animação The Book Of Life (2014).

O desafio do Páginas Salteadas de outubro centrou-se no primeiro volume da trilogia fantasiada por Ransom RiggsO Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares. No Ninho do Vento mora a primeira edição, lançada em Portugal em outubro de 2012, o ano em que me deixei envolver por Jacob Portman, de 16 anos, e viajei até 1940, ao período marcado pelo flagelo da Segunda Guerra Mundial.

A narrativa, negra, enigmática e arrepiante, é despoletada pela frase algo lunática deixada pelo avô do protagonista: “Procura a ave. No vórtice. Do outro lado do sepulcro do velho. 3 de setembro de 1940". É numa pequena e misteriosa ilha na costa do País de Gales que Jacob descobre um portal do tempo - como H. G. Wells na sua mítica fantasiosa científica "A Máquina do Tempo" - e uma arrepiante mansão em ruínas. A casa abandonada não é mais do que o orfanato gerido pela Senhora Peregrine, uma mulher soturna que se transforma em falcão-real. Pode parecer bizarro, mas todas as crianças são dotadas de poderes extraordinários e surreais: Emma controla o fogo, Millard é invisível e Enoch ressuscita pessoas e animais por breves instantes.

Foi nos confins de um antiquário que o autor desta história descobriu uma caixa repleta de fotografias antigas, a preto-e-branco e em tons sépia, excêntricas, mórbidas e peculiares. O toque sobrenatural dos retratos antigos, que pincela as páginas do livro, despertou não só a curiosidade de Ransom Riggs, em criança, mas também a minha (a nossa), quando as mesmas ganharam vida na obra editada.


O suspense impregnado em O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares fez com que criasse as obscuras e demoníacas receitas deste mês, com a preciosa ajuda das garras do meu Freddy Krueger.

Jack-o'-lanterns de fogo infernal
[Serve 4 pessoas]

Ingredientes
4 pimentos cor-de-laranja
1 lata de feijão preto (escorridos e lavados)
500 gramas de tofu biológico Shambhala (Green Beans - Mercado Vegan)
Azeite orgânico
Cebola cortada finamente
Alho picado
2 malaguetas
1 colher de chá de noz-moscada
Óleo aromatizado com manjericão (Aldi)
Mistura para guacamole (Maria Granel)
Folha de louro da nossa horta caseira
Sal fino dos Himalaias e pimenta preta moída q.b.
Óregãos

Sumo de vísceras cerebrais vegan
1 beterraba
1 laranja
1 maçã verde
1 colher de chá de açúcar de coco (Urtekram)
4 framboesas para decorar

Ao jeitinho do Ninho do Vento
Reunam todos os utensílios que vão precisar para este desafio de DIY. Com a ajuda de uma faca afiada cortem a coroa dos quatro pimentos e retirem o interior dos legumes do além com uma colher de sobremesa de madeira. Lavem os pimentos e deixem-nos secar num passador de rede. Agora já podem colocar em prática a vossa veia artística e inspirarem-se no Jack Skellington de Tim Burton: basta esculpirem olhos, narizes e bocas horripilantes com a faca. Coloquem as vossas "abóboras" no frigorífico para não murcharem. Aproveitem este tempo de espera para abrirem uma lata de feijão e deixaram escorrer o líquido. Passem várias vezes por água, até ficarem bem lavados. Reservem e deixem enxugar.
De seguida, coloquem um tacho ao lume e façam um refogado. Temperem o tofu com noz-moscada, malagueta, pimenta preta, louro, sal fino dos Himalaias, óregãos e óleo aromatizado de manjericão, até ficar dourado. Por sua vez, num tacho com água a ferver e uma pitada de sal, adicionem os pimentos por uns minutos até ficarem praticamente al dente. Não se demorem e escorram o excesso de água. Para existir um choque térmico, coloquem-nos durante uns segundos numa tigela com gelo. Retirem, sequem-nos e comecem a rechear. Sirvam como entrada e acompanhem com um sumo de vísceras cerebrais.

Fiquem desse lado, nada temam e inspirem-se para a vossa festa de Halloween. Por enquanto, deixo-vos com a minha playlist gótica no Spotify. A Thriller, claro está, não podia faltar e eu já ando a abanar o esqueleto ao som de Michael Jackson, e a tremer com o tenebroso discurso de Vincent Price.

Partilhem comigo as vossas ideias mais criativas e decorações demoníacas. 

Have a spooktacular Halloween!  

Acompanhem as receitas das restantes bloggers do projeto Páginas Salteadas:
Catarina Sousa, Joan of July
Vânia Duarte, Lolly Taste
Andreia Moita, Andreia Moita Blog

Sem comentários:

Enviar um comentário

Instagram